|

Coisas da carreira

Finalmente saiu a autorização para um novo concurso. O interesse pela carreira começa a ser notado. Muita gente querendo saber como funciona a questão do exterior, fora as perguntas sobre o processo do concurso em si.

Não considero nenhuma pergunta absurda, a propósito. E, se quiserem perguntar mais coisas, fiquem a vontade. Quando eu estava ainda fazendo as provas, tive acesso a muitas informações dadas por colegas que hoje são meus amigos. Agradeço muito a eles por me fazer sonhar com a carreira e, com isso, manter o foco até o dia da posse.

Então, lá vão algumas perguntas.

1- Não me formei ainda. Posso prestar o concurso?

Sim, pode. Tenha em mente que é preciso ter o diploma na data da posse. Ao mesmo tempo, lembre-se que entre a autorização para a realização do concurso e a posse, pode haver um período de oito a doze meses. Isso vai depender de diversos fatores. Uma vez ouvi alguém dizer que tudo o que a gente estuda, durante a vida, serve pro concurso que estamos prestando. Ou seja, não há conhecimento desperdiçado. Não tem o diploma? Inscreva-se, faça a prova e, caso passe, fique feliz em saber o quão bem preparado você está.

2- Ok, passei! E agora, já posso começar a trabalhar?

Não, calma! Tem curso de formação. No último concurso, haviam 150 vagas e o MRE convocou 300 candidatos para o curso de formação. Não sei se farão o mesmo. De qualquer forma, naquele concurso descobrimos como é difícil a vida de quem fica fora do número de vagas e, ainda assim faz o curso de formação. São meses de espera por alguma vacância, que tem que ocorrer nas vagas do próprio concurso. Então, se o Sicrano passou em primeiro lugar e você passou em 61 (não sei colocar o ozinho em cima do 61), e o Sicrano pede vacância pra trabalhar no Senado (sortudo!), você vai ser chamado pra ocupar a vaga dele. É um jeito que o universo criou para as pessoas torcerem pelas outras.

3- Tá bom, eu sou o Sicrano e não vou pro Senado. Posso começar a trabalhar?

Aí, sim. Você pode. Depois de terminado o curso de formação, você vai esperar a homologação do concurso. Aí o MRE começa a nomear as pessoas. Sua nomeação sai e você tem 30 dias pra tomar posse. É seu direito tomar posse dentro desses 30 dias, mas se você não fizer isso, o MRE vai tornar sem efeito a sua nomeação e vai chamar o próximo da fila.

4- Saiu minha nomeação, e eu vou tomar posse amanhã mesmo, mas tenho que começar a trabalhar amanhã? Quero dormir uma semana inteira antes de começar a trabalhar. Posso?

Claro que pode! Você pode dormir por 15 dias. Não recomendo, mas durma bem.

5- Eu ouvi dizer que trabalhar no Departamento Super Hiper Mega Legal é super hiper mega legal. Quero trabalhar lá. Posso? Please???

Querer é poder! Não, péra. Dificilmente você vai conseguir ir pra onde quer. Pode acontecer, já aconteceu. Mas não existe garantia alguma.

6- Mas eu sou formado em engenharia marciana e me disseram que o Departamento Super Hiper Mega Legal é o departamento certo pra isso. Eu posso ser muito bem aproveitado.

É muito difícil que você seja lotado em algum lugar só por causa da sua formação. De novo, acontece. E já aconteceu. Mas não é algo com que se possa contar.

7- Posso trabalhar seis horas?

Existem algumas áreas onde a jornada de trabalho é de seis horas. São lugares bem disputados e, dificilmente, alguém que acabou de entrar vai conseguir justamente um desses locais.

8- Ok, tomei posse, foi muito legal, mas bateu a fome. Tem restaurante no MRE?

Tem dois! Um deles fica entre o Anexo I e o Bolo de Noiva.

O outro fica no Anexo I (tem paleta mexicana nesse!!). O horário de almoço é de 13:00 às 15:00. Bom apetite.

9- Pronto, fui lotado, adoro meu chefe, meus colegas são super legais. Só que eu quero morar em Londres!! Pra ontem! Como eu faço?

Caro Sicrano, Londres ainda não é pro seu bico. Mas calma, em três anos você pode tentar ser removido pra lá. Esse é o tempo que você tem que passar na SERE (Secretaria de Estado das Relações Exteriores).

10- Ah, não, eu quero ir logo pro exterior. Como eu faço?

Você pode ir antes. Com dois anos de SERE você já pode ir pra um posto C/D.

11- Não, espera. O que é um posto C/D???

Em teoria, um posto é classificado como C ou D devido às dificuldades que ele apresenta. Então, se o clima é extremo, a língua difícil, o país fica longe, o governo do país é instável, o país está em conflito, existem doenças, a religião é radical, o posto pode ter essa classificação. A classificação é feita para permitir que o posto, apesar de muitos desses problemas, seja lotado. E essa classificação muda o tempo todo. Vivemos em um mundo em movimento. Um lugar problemático hoje pode ser o paraíso amanhã.

12- Ah, eu prefiro ficar na SERE por três anos. Com certeza, vou pra Londres, né?

Não. Você tem direito a algumas coisas, mas não tem direito a ir pra nenhum posto específico.

13- Eita, consegui Londres! Minha esposa, a Sicrana, quer trabalhar na embaixada. Ela fala inglês super bem. Ela pode?

Não. A Sicrana vai ter que ver se pode trabalhar na Inglaterra. Pode ser que exista algum acordo que permita o trabalho de dependentes dos membros do corpo diplomático. Se houver, ela pode buscar uma vaga. Mas não pode ser na embaixada.

14- Não, espera, você não entendeu. A Sicrana, minha amada esposa, é Especialista em Gestão de Empreendedorismo do Ministério dos Tijolos Amarelos. Ela é concursada. Ela iria fazer um ótimo trabalho na embaixada.

Sinto muito, mas a Sicrana vai poder tirar uma licença pra acompanhar o cônjuge, mas não vai poder trabalhar na embaixada. A lei do serviço exterior não permite o serviço provisório de servidores de outros órgãos nas missões diplomáticas.

15- Eu tenho oito filhos, minha esposa, minha mãe, dois cachorros, cinco gatos e uma calopsita. Posso levar todo mundo?

Sim, você pode levar todo mundo, desde que todos sejam seus dependentes legais. Todos os seres humanos, quero dizer. Os animais seguem a regra de cada país. Existem países que obrigam a uma quarentena bem longa. Isso pode ser um sofrimento para o animal, então é bom se informar antes para evitar problemas.

16- E meus filhos, minha mãe e minha esposa? Eles vão ter problemas?

Em ir, eles não vão ter problemas. Mas é bom ter sempre em mente que, dependendo do posto, seus dependentes podem se sentir isolados, deslocados. Enquanto você passa oito horas no posto, na companhia de pessoas diferentes, a maioria delas brasileiras, seus dependentes estão tentando se adaptar a essa nova cultura, a uma língua que não conhecem. Por isso, na hora de escolher um posto, leve em consideração a opinião da sua família.

Isso é o que eu lembrei de dúvidas. Quem tiver mais, me mande. Terei prazer em responder, desde que não impliquem em divulgar informação que não possa ser fornecida.

Nesse pequeno FAQ, apenas informo o que as leis 8.112/1990 e 11.440/2006 já indicam.

 

Tags:

101 Responses for “Coisas da carreira”

  1. claudia says:

    Olá,

    Olha, eu não acredito muito nisso de alto nível de inglês. Acho que o importante é ter um bom controle do que se sabe. Não adianta eu saber inglês super bem, conhecer todas as regras gramaticais, ter um vocabulário enorme, se eu não consigo colocar isso no papel.

    De qualquer forma, respondendo a sua pergunta, eu não acho que eu tinha um alto nível de inglês quando fiz a prova. Foi uma época em que eu estava lendo muita coisa em inglês. Tinha descoberto uma série de livros interessante, sem publicação em português, e decidi ler todos eles. Além disso, estava escrevendo artigos pagos no meu blog. Ou seja, estava exercitando tanto a leitura quanto a parte escrita.

    Acho que quem tem nível médio consegue se preparar nesses dois meses, com certeza. Leia bastante, escreva textos em inglês pra se acostumar com a estrutura.

    Boa sorte!

  2. Kellen says:

    Oi Cláudia…adorei sua generosidade!

    gostaria de saber, caso eu passe no próximo concurso, se consigo pedir remoção para outro estado. Sou de MG e no edital diz que as vagas serão somente para DF e que, após a nomeação, o servidor deverá permanecer por um período de 2 anos. Meu marido é servidor publico do estado de MG, isso poderia ser favorável pra eu ser removida para BH até mesmo antes do período de 2 anos?

  3. claudia says:

    Olha, não sei te dizer. Existe uma licença pra acompanhar o cônjuge e parece que existe algo sobre poder trabalhar no mesmo local que o cônjuge (desde que no Brasil), mas não sei dizer se é preciso que vc já esteja lotada em Brasília e seu cônjuge seja removido em seguida.

  4. Leonardo says:

    Olá
    Caramba! quanta disposição em ajudar. Fiquei besta, parabéns pela atitude!
    A minha dúvida é bem simples. Estou consultando a tabela de remunerações no exterior disponibilizada no site da ASOF e percebo que dificilmente a “ajuda de custo integral” fica abaixo de 8 mil. Esse valor está expresso em dólares, correto? A diferença é brutal para o sálario no Brasil, mesmo considerando um dólar baixo. É isso mesmo? Entendo que os custos também serão em dólares mas mesmo assim fiquei na dúvida.

  5. claudia says:

    Oi Leonardo,

    Quando posso, respondo. Gosto de fazer isso.

    Sim, a ajuda de custo é em dolar. É recebida em uma única vez, integralmente, quando o servidor sai em MT acima de 180 dias ou em remoção. Se a MT for tiver um prazo menor que 180 dias, ele recebe o valor proporcional.

    Não é um valor mensal.

  6. Davi says:

    Bom dia Cláudia! Gostaria de saber algumas coisas sobre sua rotina, se possível!
    1 Qual é o horário de trabalho? Ele é flexível?
    2 Como é o clima de relacionamento entre o pessoal?
    3 Para quem mora nas cidades satélite, quanto tempo em média gasta para chegar ao trabalho?

    Obrigado pela ajuda!

  7. claudia says:

    O horário de trabalho é de 9:00 às 13:00 e de 15:00 às 19:00. A flexibilidade vai depender do chefe.

    O clima de relacionamento é normal. Existem colegas legais, existem colegas menos legais. Existem chefes ótimos, existem chefes ruins. Em todas as áreas onde eu trabalhei, só tive bons colegas e ótima chefia. Não sei se é sorte ou se é assim com todo mundo.

    Vai depender da cidade satélite. Algumas têm mais trânsito, outras menos. Também depende de horário. Normalmente, todo mundo trabalha a partir das 8. O MRE é a partir das 9, então tem um trânsito ligeiramente menor.

    Boa sorte!

  8. Shelby says:

    Adorei o site, mas só pra constar, se eu passar, vou dormir sim os 15 dias direto. rsrsrs

  9. Paula says:

    Ola Claudia,

    Primeiro gostaria de agradecer a iniciativa e disposição em ajudar !! O mundo com certeza seria muito melhor se existissem mais pessoas como vc!! 🙂

    Já tirei muitas duvidas com seus posts, porém me restaram algumas!
    Eu estou estudando para área fiscal ( e todas as materias do atual concurso, eu ja venho estudando- o que me motivou para fazer esse concurso) e tbm ja morei fora ( 2anos e meio nos EUA – inclusive fiz uma pos la). Portanto acho que me dedicando a leitura e treinando ( para o ingles ficar mais afiado ) durante esses últimos messes para a prova, poderia ter um bom resultado.
    No entanto, estou com receio do nível das provas de inglês e português… Sei que no seu concurso foi outra banca , mas como você detalharia e nivelaria essas materias??
    Outra questão é a carreira… Como é a progressão ? Quais são as funções desse cargo?
    Depois desses 2 anos em Brasilia, para quais cidades do país eu poderia mudar ?? Posso mudar antes desses 2 anos??
    O salario é por subsidio, portanto é $ 7900 bruto mesmo, sem nenhum adicional , correto?? ou melhor, ainda virao descontos nao eh ?? Vc acha suficiente para Brasilia??
    Como vc mora em Brasilia , vc vê muitos cursinhos para esse concurso especifico ?? Essa é uma carreira muito desejada ??

    Agradeço desde já e fico no aguardo !!
    Paula Sousa

  10. claudia says:

    Anotado! 🙂

  11. claudia says:

    Oi Paula,

    É difícil dizer como vai ser o nível da prova de inglês. A tendência é que seja alto porque é uma boa forma de eliminar candidatos, além de ser uma habilidade extremamente necessária no Ministério.

    A carreira é composta de Classes e Padrões. Cada Classe contém 5 padrões e a progressão é automática, a cada ano. A carreira contém quatro Classes e a promoção se dá por tempo de serviço, tempo de serviço no exterior, realização de curso e votação. Pode ser por antiguidade ou por merecimento.

    As funções podem ser muito diversificadas e depende se você está no exterior ou no Brasil.

    Não existe um prazo para que a pessoa possa ser lotada em outro escritório, dentro do Brasil. No entanto, isso não é algo com que se possa contar. Existem muitas pessoas, mais antigas, muitas voltando do exterior, interessadas nessas vagas. É bom lembrar que a carreira é de serviço exterior. Entrar no MRE com a ideia de trabalhar a vida toda em um escritório regional ou até mesmo em Brasília pode acabar em frustração. O salário no Brasil não é dos mais altos e a progressão da carreira leva em conta o tempo de serviço no exterior.

    O salário é por subsídio, ou seja, é aquele valor mesmo. Eu acho suficiente para Brasília, mas eu vivi a vida toda lá.

    Estou no exterior, no momento, e não sei dizer muito sobre os cursinhos.

    Boa sorte!

  12. Vini says:

    Oi, Cláudia! Tudo bem? Depois de mto tempo parado, resolvi voltar a estudar para o concurso de Of. de Chancelaria. Vc acha muita utopia da minha parte estudar só por esses dois meses e achar q tenho alguma chance de passar na prova? rs..

  13. Carlos says:

    Claudia, boa tarde, só uma dúvida, sou servidor público estadual, o curso de formação requer que uma pessoa que seja servidora peça afastamento (licença, ou algo do tipo) do seu serviço, ou posso por exemplo simplesmente tirar férias?

    Att.

    Carlos

  14. Eliana says:

    Olá. Eu não entendi direito como funciona a remuneração no exterior. Eu receberia meu salário no brasil convertido em dólar? Poderia dar um exemplo de uma cidade e qual seria a remuneração nela?

    Obrigada!

  15. claudia says:

    A remuneração no exterior é definida segundo um cálculo que envolve o cargo, a posição da pessoa na carreira, o posto e uma correção de câmbio.

  16. claudia says:

    Vc pode tirar férias, sem problemas, mas vai ter que optar pelo seu salário normal ou pela ajuda de custo que será paga durante o período.

    No meu caso, eu era celetista e bastou que eu tirasse férias.

  17. claudia says:

    É difícil saber o seu nível, no momento. Pode ser que vc tenha acumulado conhecimento suficiente para passar.

  18. Igo says:

    Boa tarde, Claudia. Eu gostaria de ter uma noção da rotatividade dos OfChans. Eu já sei que para o exterior, o tempo máximo de permanência em um posto é de 5 anos e 10 anos consecutivos ao todo no exterior. Há algum prazo de permanência para os postos no Brasil também? As remoções de ofício são inquestionáveis? Seria possível dar uma noção com base no que você já viu da frequência com que saem as remoções?
    Muitíssimo obrigado por essa e todas as respostas anteriores!

  19. claudia says:

    Não existe prazo de permanência no Brasil. Existem prazos para poder ir para o exterior, somente. E, claro, os prazos pra ficar no exterior.
    Não entendi a pergunta sobre as remoções de ofício. Todas são de ofício, apesar de não serem obrigatórias. Quando é publicado o plano, o servidor se inscreve. Depois são oferecidos os postos e o servidor pode indicar mais dois. Em seguida, vem o resultado e, logo após, a portaria de remoção. O servidor pode desistir a qualquer momento. Se a pessoa desistir após a emissão das passagens e do pagamento da ajuda de custo, ela terá que devolver esses valores.

    As remoções acontecem duas vezes ao ano, apesar dessa regra não estar sendo seguida por conta das restrições orçamentárias.

  20. Carlos says:

    Claudia, qual o quadro do plano de carreira que vale hoje, o do Decreto 1.565/95 ou o da Lei 8829/93?

  21. Eliana says:

    Olá, eu gostaria de saber se você sabe quanto um ofchan ganha em um posto fora do brasil. Eu sei que depende, mas você saberia algum exemplo de remuneração? Porque se for converter para dólar a remuneração de R$ 7.000,00 é muito pouco para conseguir viver bem em alguns lugares né?

    E saberia dizer se eles pagam o aluguel também?

  22. Cristiano says:

    Boa Noite Claudia. Primeiramente, parabéns pela iniciativa e pela ajuda que você está prestando a todos nós. Eu estou ficando cada vez mais empolgado para ser um ofchan, vamos ver se dá certo ^^
    Cláudia, vocês também trabalham aos sábados? Chegam a perder algum feriado trabalhando (isso quando se está trabalhando no Brasil)? Pergunto mais pela curiosidade mesmo, pois sei que tem profissões que acabam demandando um pouco mais da gente.

  23. claudia says:

    Oi Cristiano, olha, eu não sei de alguém que trabalhe aos sábados, mas é possível. Existem áreas, como cerimonial e informática que podem precisar de gente fora dos horários normais.

    A regra geral é trabalho de segunda a sexta mesmo.

  24. claudia says:

    Os valores no exterior variam muito. Dependem do posto e do cargo da pessoa. De qualquer forma, não equivalem ao salário do Brasil convertido para reais.

    O pagamento do aluguel tb obedece a cálculos diferenciados e regras específicas.

  25. Igo says:

    Boa noite, Claudia. Eu observei uma peculiaridade quanto à posse dos OfChans e AsChans, que ela se dá no prazo de 30 dias a partir da data da nomeação, prorrogáveis por mais 30 e totalizando 60, diferentemente do que dispõe a lei 8.112/90. É isso mesmo ou é informação desatualizada? Gostaria de saber porque essa informação pode-me ser útil.
    Eu te agradeço desde já.

  26. claudia says:

    Essa validade é do CACD. O concurso para o cargo de oficial de chancelaria tem validade, normalmente, de dois anos, prorrogáveis por mais dois.

  27. Igo says:

    Obrigado por me responder, Claudia, só que minha dúvida não era a respeito do prazo de validade do concurso, mas do prazo para a posse na carreira de OfChan. Desculpe-me por insistir.

    Eu até já te adianto uma outra pergunta que poderá evitar outras futuras, você saberia informar por gentileza se o MRE disponibiliza legislações em outro lugar além do site itamaraty.gov.br?

    Nele é disponibilizado o decreto 1.565/95 do site do Planalto, porém está desatualizado e ainda fala em estágio probatório de 2 anos, estágio inicial mínimo de 4 anos em BSB, interstício de 24 meses para progressão por antiguidade etc., para não mencionar outras desatualizações que só confundem a cabeça de quem está se preparando.

    Depois destas respostas, eu te deixarei em paz. (rs)
    Obrigado pela atenção.

  28. claudia says:

    Igo, o prazo para posse é de 30 dias, podendo ser prorrogado pela Administração, a critério dela (e não a pedido do candidato), por mais 30 dias. Em muitos concursos, caso o candidato ainda não tenha cumprido todos os requisitos para a posse, é possível pedir para ir pro final da fila. Não é o caso desse concurso, no entanto. O edital diz, explicitamente, que não haverá fim de fila.

    A legislação atualizada pode ser encontrada no site do Planalto. Caso o site do Itamaraty esteja desatualizado, pegue o número da lei e procure no site do Planalto. Lá estarão indicadas as alterações que a lei sofreu.

    O estágio probatório é de 2 anos e a estabilidade é alcançada após 3 anos. Após diversas decisões judiciais, chegou-se ao consenso de que o prazo é de 3 anos, tanto para o término do estágio probatório, quanto para a aquisição da estabilidade.

    O estágio inicial na SERE (Secretaria de Estado) é de, no mínimo, dois anos.

    Lembre-se que uma lei vale mais do que um decreto, e a lei nova tem precedência sobre a antiga. Além disso, tente se ater à legislação pedida no edital. É essa a legislação que vai ser pedida na prova.

    Pode fazer perguntas. O que eu puder e souber responder, responderei.

    Boa sorte!

  29. Igo says:

    Claudia, não sei como te agradecer. Quem sabe um dia não poderei fazê-lo pessoalmente?

    É justamente esse o problema. O site do Planalto também está desatualizado e esse decreto 1.565/95 é cobrado no edital. Em algumas coisas eu consigo detectar a incoerência no texto do decreto, mas acredito que em outras não e fico sem saber o que é confiável ou não, o que está atualizado e o que não está. Assim vamos levando os estudos!

    Obrigado e sucesso para você!

  30. Ster says:

    Cara Claudia,
    Estou há algum tempo me empenhando para as questões objetivas, mas a redação (principalmente em inglês) é o meu maior temor…nesse recesso não tive tempo de me dedicar e estou em dúvida em fazer aulas presenciais ou online…ainda há tempo? Vale a pena me inscrever? O que você aconselha e, de preferência, informe se há materiais gratuitos para me ajudar, caso esse investimento não compense o tempo escasso.
    Att.

  31. claudia says:

    Nunca vi o site do Planalto desatualizado em matéria legislativa.

  32. Igo says:

    [Favor desconsiderar o anterior.]

    Por exemplo, nesse link do decreto 1.565/95 do site do Planalto (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1995/D1565.htm), lê-se:

    “Art. 8º. Parágrafo único. O prazo para a posse nos cargos é de trinta dias, ___prorrogável por mais trinta dias a pedido do interessado___, contado da data da publicação do ato de provimento”. (Você já me esclareceu sobre essa).

    “Art. 9º. O servidor nomeado para cargo das Carreiras de Oficial de Chancelaria e de Assistente de Chancelaria fica sujeito a estágio probatório de ___de dois anos de efetivo exercício___ (…)”. (Na lei 11.440, Art. 8º. O servidor nomeado para cargo inicial das Carreiras do Serviço Exterior Brasileiro fica sujeito a estágio probatório de ___3 (três) anos de efetivo exercício___ […] Entendo que prevalece a lei).

    “Art. 49. O Oficial de Chancelaria e o Assistente de Chancelaria cumprirão estágio inicial mínimo de ___quatro anos___ na Secretaria de Estado das Relações Exteriores”. (Conforme a lei 8.829, é no mínimo de ___2 anos___)

    Além disso, esse decreto é incoerente sobre as classes. Disciplina, por exemplo, que a promoção para Classe Especial pode ser ___por antiguidade e merecimento___ (art. 37, I), enquanto a lei 8.829, art. 14, I, a promoção para Classe Especial será ___somente por merecimento___. Entre outras incompatibilidades com uma rápida leitura.

    Sobre a Classe A, traz “Art. 37, II – para a Classe “A”, sessenta por cento das vagas por merecimento e quarenta por cento por antigüidade”.
    “Art. 41, II – à Classe “A” da Carreira de Oficial de Chancelaria o servidor da mesma carreira que contar, no mínimo, dez anos de efetivo exercício no Ministério das Relações Exteriores e tiver sido habilitado no Curso de Atualização de Oficial de Chancelaria (CAOC)”
    Mas entendo que nada disso se aplica à Classe A, que é a classe inicial.

    Ou seja, a lei do próprio site do Planalto está desatualizada, não está?

  33. Fernanda says:

    Olá Claudia!

    Parabéns pelo blog, esclareceu muito minhas dúvidas. Mas você pode falar um pouco mais sobre o curso de formação? Tem prova no final do curso? A nota vai contar no resultado final? Como é a metodologia?

  34. claudia says:

    Eu não tenho ideia de como será esse curso de formação. No meu curso de formação, tivemos aulas de português e inglês, além de palestras sobre o MRE. Houve prova somente de português e inglês.

  35. Samia says:

    Oi Claudia! Que legal esse site que você mantém! Nós, estudantes curiosos, agradecemos muito a sua iniciativa e paciência!
    Minha dúvida é sobre dependentes.. Sou casada e meu marido não é servidor. Se eu me mudasse pra qualquer lugar (mesmo Brasília) ele teria que ir junto, desempregado. Você acha que o salário de ofchan, tanto internamente quanto no exterior, dá pra bancar 2 pessoas? E filhos (ainda não tenho, mas tenho planos de ter)?

    Muito obrigada!!

  36. claudia says:

    Oi Samia. Olha, eu não posso dizer se o salário no exterior vai ser suficiente pra vc e seu marido, e futuros filhos, porque isso depende de cada um. Tem gente que gasta mais, tem postos com custo de vida mais alto, escolas mais baratas, outras mais caras.

    Pessoalmente, sendo solteira e sem filhos, me preocupo somente com a minha subsistência, então o salário é mais do que suficiente. Se eu fosse casada e tivesse filhos, com certeza teria que estudar bem os postos para onde pudesse ir, levando em conta custo de vida, acordo de trabalho para dependente, existência de boas escolas pros meus filhos.

  37. Bruno says:

    Crianças….a vida de ofchan não é glamour não…

    Morar em postos “chapa quente”(postos C e D) não é pra qualquer um. Saibam que pela norma, vocês VÃO SIM morar em lugar chapa quente. Se morar em lugar estranho(e muitas vezes precário) não é uma opção, então pensar duas vezes em fazer a prova é bastante prudente.

    Pense na África, Oriente Médio e Ásia. Gostou? Então pense duas vezes.

  38. Sue Carvalho says:

    Parabéns por sua disponibilidade. Difícil ver isso hoje em dia!
    Minha pergunta é de caráter prático: você saberia dizer qual foi o percentual de acertos do pessoal chamado no último concurso? De preferência, o percentual de acerto da última pessoal chamada. Assim podemos ter uma idéia se seremos chamados ou não. …

  39. claudia says:

    É bem complicado comparar os dois concursos. As bancas foram diferentes, a quantidade de inscritos foi maior agora, o método de correção foi muito diferente.

  40. Fernanda says:

    Muito Obrigada pela resposta Claudia, depois li que você já tinha falado sobre como foi o seu curso, desculpe pela pergunta repetida!! Estou estudando para os próximos concursos do MRE, inclusive Assistente se sair, e minha dificuldade no Inglês é a falta de artigo científicos ou coisa do tipo. Na época da sua preparação para o concurso ( *Você passou na primeira que fez?). Preciso melhorar minha redação em Inglês, ler mais… **alguma dica de revista ou site? Beijão e mais uma vez obrigada pelo site e por sua paciência.

  41. claudia says:

    Oi Fernanda,

    olha, eu li artigos da The Economist, mas já tinha o hábito de leitura de livros em inglês. Acho que, já que ainda tem bastante tempo até o próximo concurso, vc pode ler artigos e livros, sem se preocupar tanto com o fato de ser um romance e não um texto técnico.

  42. Andrade says:

    Oi, Cláudia! Olha, você disse que no seu curso de preparação houve apenas prova de de Inglês e Português. Teu edital previa isso? É que o desse ano fala apenas sobre as normas protocolares… outra coisa: teu curso de preparação também foi classificatório? Se sim, mudou alguma coisa na lista de classificados definitiva em relação à primeira? Obrigada mais uma vez.

  43. claudia says:

    O meu curso de formação teve inglês, português, normas internas, organograma, mas a prova foi só de português e inglês. Foi somente eliminatório. Por isso, não houve mudança na classificação.

  44. lucas says:

    Olá!
    Onde posso encontrar a prova do curso de preparação de 2009 – FCC?? Você as tem ou sabe dizer onde encontro?
    Obrigado

  45. claudia says:

    Acho que essa prova não está em lugar nenhum. Sinto muito.

  46. William says:

    Oi Claudia,

    pra quem ficou quase lá, entre os 300 que tiveram as discursivas corrigidas…

    Será que demora muito pra acontecer outro concurso pra Ofchan? Esse tem validade de dois anos. Será que serão mais 8 anos novamente?

    🙁

    SAD

  47. claudia says:

    Que triste, William

    Olha, eu não sei dizer se vai demorar muito pra ter outro concurso. No mínimo, serão dois anos. Essa é a validade desse concurso. Pode ser que prorroguem, então serão quatro anos.

    Eu, sinceramente, espero que não demore muito.

  48. Andrade says:

    Oi (de novo 🙂 ), Cláudia! Sobre o MSCJ, se, a partir da tua rotina de trabalho, pudesse fazer uma aposta sobre quais assuntos são mais relevantes, em que VC apostaria?

  49. Andrade says:

    Ah! As provas de português e inglês do curso de formação foram discursivas?

  50. claudia says:

    Ah, eu não trabalho com consular e nosso curso de formação não teve isso. Não faço a mínima 😀

Leave a Reply